Nbjolpuc’s Weblog


Em rodada 100%, trio de ferro encerra primeiro turno em situações opostas
Agosto 13, 2007, 8:27 pm
Filed under: Esportes

            Após 19 rodadas passadas e o fim do primeiro turno, São Paulo, Palmeiras e Corinthians comemoram – cada um a sua maneira. O primeiro, além de garantir o título do primeiro turno diante de sua torcida no sábado contra o Atlético Paranaense e atingir a marca de sete triunfos consecutivos, assistiu o vice-líder Botafogo amargar um empate contra o Figueirense nesse Domingo, separando os dois em confortáveis sete pontos para os paulistas. O time carioca ainda tem um jogo a ser feito pelo primeiro turno, justamente contra um paulista – jogará contra o Corinthians quarta-feira. Já o Palmeiras segue sendo um visitante indesejável. Contra o Atlético Mineiro, no Mineirão, o time do técnico Caio Júnior mostrou sua força novamente na casa do adversário, vencendo de virada o clube mineiro por 2 a 1. Dos 30 pontos ganhos o time conseguiu 18 fora de seus domínios. A equipe alviverde continua na disputa por uma vaga no G4, grupo classificatório para a Libertadores, e está a apenas um ponto do atual quarto colocado, o Vasco da Gama. Os comandados de Paulo César Carpegiani conseguiram respirar aliviados após uma virada suada sobre o Grêmio, no Pacaembu. Após entrar em campo já na zona de rebaixamento, o time viu os gaúchos abrirem o placar e só conseguiram reverter a situação nos últimos dez minutos, marcando dois gols em dois minutos. O alvinegro do Parque São Jorge agora ocupa a 15ª posição, a três pontos da zona de degola e ainda terá a chance de respirar mais fundo ainda se conseguir um resultado positivo diante do Botafogo, em jogo remarcado devido ao Pan 2007 no Rio de Janeiro.  

São Paulo

Diante de mais de 36 mil pagantes, o São Paulo mostrou mais uma vez porque é principal candidato ao bicampeonato brasileiro. Novamente com uma atuação impecável do sistema defensivo e com objetividade e oportunismo no ataque, o time de Muricy Ramalho não encontrou dificuldades para vencer o Atlético/PR, principalmente após fazer um gol nos primeiros 10 minutos. Aos 5, em jogada atípica, o São Paulo teve um tiro livre indireto dentro da área. Rogério Ceni foi para a bola, mas apenas rolou para Jorge Wagner bater forte e rasteiro enganando o goleiro Guilherme. Com a vantagem no placar os jogadores souberam manter a posse de bola e segurar o adversário. O Atlético tentava, porém não conseguia passar pela marcação são-paulina – dona da melhor defesa do campeonato, tendo sofrido apenas sete gols. Jorge Wagner e Josué dominavam o meio-campo, cadenciando a partida e explorando contra-ataques. O primeiro tempo seguiu em ritmo lento até o apito do árbitro. Já no segundo tempo, o time paulista voltou disposto a liquidar a partida. Logo no primeiro minuto Josué invadiu a área e chutou cruzado para difícil defesa do goleiro atleticano. Eufórica, a torcida pedia o segundo gol. Prontamente atendida, Richarlyson cruzou e Alex Silva tocou sutilmente de calcanhar, mas o goleiro Guilherme salvou o que seria um golaço. No rebote, a bola tocou na trave sobrando livre para Borges empurrar para as redes. Voltando a comandar o jogo e ter a posse de bola, o time só foi ameaçado em um contra-ataque veloz de André Rocha que teve seu chute detido por Rogério. O goleiro ainda teve mais uma chance de tentar fazer seu primeiro gol de falta no ano, mas bateu mal e Guilherme defendeu sem grandes dificuldades. Ao final, a torcida, mesmo que ainda tímida, gritava “é campeão”. Jogando um futebol que não chega a ser vistoso, o São Paulo mostra que futebol de resultados também é digno de respeito. Com eficiência ímpar na era dos pontos corridos, o tricolor tem mais 19 jornadas para confirmar seu amplo favoritismo. Por conta disso, o técnico Muricy Ramalho deve poupar jogadores contra o Figueirense na quarta-feira, na estréia do time pela Sul-Americana.

Fora das quatro linhas: Na noite de domingo, o jogador Richarlyson concedeu uma entrevista ao Fantástico, da Rede Globo, falando pela primeira vez sobre o assunto que tanto ele quanto o clube vinham se esquivando: o homossexualismo e o processo que o jogador move contra o dirigente palmeirense José Cyrillo Jr. Nela, o jogador deixa claro que não é homossexual e que se sente incomodado com as especulações. Richarlyson ainda disse que quer que as pessoas reconheçam seu trabalho como atleta e deixem de lado as inverdades que foram lançadas. O jogador é o atual titular no meio-campo são-paulino, jogando ao lado de Josué como volante. 

Corinthians

De volta ao Pacaembu, com pouca torcida e já entrando em campo na zona de rebaixamento, o Corinthians tinha a difícil missão de bater o Grêmio, atual vice-campeão da Libertadores. Com praticamente a mesma formação da última partida, apenas com a entrada de Kadu no lugar de Fabio Ferreira, o time alvinegro deixou a armação por conta de Willian e Gustavo Nery, improvisado no meio. Mesmo com a forte marcação gremista, os corintianos conseguiram encontrar alguns espaços na zaga. Aos 13, em ótimo lançamento de Vampeta, o atacante Clodoaldo dominou sozinho dentro da área e chutou para fora, desperdiçando a melhor chance paulista do primeiro tempo. Aos poucos os gaúchos equilibraram o jogo e chegaram ao gol. Em jogada pela esquerda, Tcheco recebeu bola de Diego Souza e chutou cruzado. Felipe defendeu parcialmente e a bola sobrou para Carlos Eduardo que completou de carrinho. Antes do final do primeiro tempo, Carlão, volante que estava improvisado na lateral-esquerda corintiana se lesionou e o técnico Paulo César Carpegiani promoveu a entrada do boliviano Arce, deixando a equipe com três atacantes. No segundo tempo Finazzi voltou no lugar de Clodoaldo. O experiente atacante não figurava nem no banco de reservas desde a derrota para o Náutico. O Corinthians partia para cima, mas o real perigo surgia nos contra-ataques gremistas. Em um deles Carlos Eduardo carimbou a trave de Felipe. Willian, que estava apagado no jogo, conseguiu tecer suas jogadas caindo pela esquerda. Numa delas, cortou para o meio e chutou, com efeito, para linda defesa de Saja. Em outro lance da jovem promessa alvinegra, o zagueiro Pereira quase marcou contra, sendo salvo por ótima intervenção do goleiro gremista. Logo depois o técnico Mano Menezes tirou Carlos Eduardo e colocou mais um zagueiro, chamando de vez o Corinthians para seu campo. Em uma seqüência de escanteios o Corinthians finalmente encontrou o empate, aos 36 minutos. Em cobrança de Arce, a zaga tricolor afastou errado e deixou a bola para Finazzi, sozinho, completar de cabeça. Os pouco mais de cinco mil torcedores empurraram o time e dois minutos depois, a virada aconteceu. Em jogada pelo meio, Gustavo Nery tocou para o mesmo Finazzi, que fez perfeitamente o pivô e deixou o ala de frente para o gol. Em chute de rara felicidade, a bola explodiu no ângulo esquerdo, virando o placar. A torcida voltou a cantar e pedia o fim do jogo, que veio rapidamente. Com o resultado, o time paulista chegou aos 23 pontos e está em 15º, três pontos longe da zona de rebaixamento. A equipe tem mais um desafio complicado na quarta-feira, quando enfrenta o vice-líder Botafogo no Rio de Janeiro, em jogo remarcado do primeiro turno.  

Fora das quatro linhas: O novo presidente corintiano, Clodomil Orsi, demitiu, no sábado, dois diretores de futebol, Rubens Gomes e Ilton José da Costa. O primeiro teve passagem relâmpago pelo Parque São Jorge, já que foi contratado em Julho para ser vice-presidente de futebol. O segundo chegou em Maio, com o objetivo de representar o clube e cuidar das contratações. As demissões fazem parte do processo de renovação da diretoria, que após o afastamento de Alberto Dualib já dispensou também Renato Duprat, considerado homem forte nos bastidores corintianos. Enquanto isso, o Conselho Deliberativo continua preparando o processo contra Dualib e o ex-vice Nesi Curi.  

Palmeiras

Novamente sem o apoio de sua torcida, o Palmeiras se superou. Em pleno Mineirão, contra o Atlético/MG, a equipe alviverde conquistou sua quinta vitória fora de seus domínios, confirmando seu melhor aproveitamento longe do Parque Antarctica. Escalando novamente Valdivia e Edmundo juntos, o técnico Caio Júnior viu um começo de jogo onde o adversário pressionou sua equipe em busca da vantagem. Logo no primeiro minuto o árbitro anulou um gol atleticano após cabeçada de Danilinho em posição ilegal. A torcida mineira se inflamou e logo aos 4 minutos, Éder Luís recebeu passe na área, girou em cima de Wendel e chutou no canto de Diego Cavalieri. Porém, o Palmeiras não se assustou e seguiu com a posse de bola, até empatar o jogo. Em falta na lateral da área, Martinez cruzou fechado e o goleiro Edson deixou a bola passar.  O time da casa passou a dominar o jogo e as ações ofensivas, mas pecava na finalização. Ao final do primeiro tempo as reclamações por parte dos atleticanos começaram, lembrando a arbitragem do gol anulado. O segundo tempo começou com pressão do Galo, que parecia disposto a lutar até o gol. Porém, num lance rápido, Edmundo encontrou Martinez livre na entrada da área. O volante arrematou de primeira e fez seu segundo gol na partida, esfriando a reação do alvinegro mineiro. A partir daí, o que se viu foi um Palmeiras recuado, apostando em contra-ataques que não surgiam, e uma pressão enorme dos anfitriões. Aos 20 minutos, Bilu arriscou de fora da área, o goleiro Diego desviou sutilmente e a bola explodiu no travessão. A torcida mineira ainda reclamou de dois possíveis pênaltis, um em lance de bola na mão e outro em uma falta que aconteceu fora da área. Aos 26, Coelho arriscou de longe e carimbou novamente a trave do goleiro palmeirense. O time mineiro continuou lutando até o final, mas não era dia do Galo. Era dia de Martinez. Com os três pontos conquistados, o clube encosta ainda mais na zona de classificação da Libertadores, estando a apenas um ponto do Vasco da Gama, quarto colocado. No próximo domingo, o time palestrino recebe o Flamengo e não poderá contar com Valdivia, suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

                                                                                                                                                     Leonardo Martins


1 Comentário so far
Deixe um comentário

Futebol pode ser realmente uma coisa interessante, hein… Longe dos comentários batidos e repetitivos, essa breve introdução a situação dos times paulistanos me fez visualizar o estado emocional de cada torcedor no momento. Prosa da boa.

Comentar por Flora Dias




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: